- Conteudo Principal

Estratégia Nacional para os Direitos das Crianças 2021-2024

Aprovada pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 112/2020, de 18 de dezembro

A Resolução do Conselho de Ministros n.º 112/2020, de 18 de dezembro, aprovou a Estratégia Nacional para os Direitos das Crianças, para o período 2021-2024 (ENDC 2021-2024).

A Comissão Nacional da Promoção dos Direitos e Proteção de Crianças e Jovens foi designada como a entidade coordenadora da ENDC 2021-2024 e dos respetivos planos de ação.

Aceda aqui à Resolução do Conselho de Ministros, na qual consta a Estratégia Nacional.

Plano bianual 2021-2022 da Estratégia Nacional para os Direitos das Crianças

No seguimento da aprovação da Estratégia Nacional para os Direitos das Crianças através da Resolução do Conselho de Ministros n.º 112/2020 de 18 de dezembro, foi homologado a 18 de novembro pela Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social o plano bianual 2021/2022, aprovado pelas áreas governativas envolvidas.

O referido Plano bianual está estruturado em quatro prioridades:

- Promover o Bem-Estar e a Igualdade de Oportunidades, onde se assume a necessidade de intensificação dos esforços para garantir níveis de vida adequados ao desenvolvimento da criança e jovem.

- Apoiar as Famílias e a Parentalidade, focando-se na proteção das crianças e jovens privados de meio familiar. Pretende incentivar a desinstitucionalização e a qualificação dos equipamentos existentes e contribuir para o incremento do sistema de adoção e de apadrinhamento civil e reforçar o sistema de acolhimento familiar.

- Promover o Acesso à Informação e à Participação das Crianças e Jovens, pretende-se potenciar a informação e o conhecimento das crianças e jovens sobre os seus direitos e garantir a formação adequada aos profissionais que interagem sistematicamente com crianças e jovens no sistema de ensino, judicial, saúde e da segurança social.

- Prevenir e Combater a Violência Contra Crianças e Jovens, visa a implementação de objetivos estratégicos no âmbito da prevenção e combate a todas as formas de violência, nos diversos contextos, nomeadamente na escola, em casa, nas diferentes comunidades que a criança e jovem frequentam e no mundo digital.

Consulte aqui o documento.